Home / +Jogos / CS:GO: ESL One Cologne começa nesta terça-feira com FURIA e MIBR

CS:GO: ESL One Cologne começa nesta terça-feira com FURIA e MIBR

MIBR estreando LUCAS1 e FURIA entre os grandes

Um dos mais prestigiados eventos do calendário internacional de Counter-Strike começa esta semana. A ESL One Cologne é palco de disputas histórias, incluindo o único Major vencido pelo lendário time da Ninjas in Pyjamas em 2014, a coroação da FNATIC 2014/2015 como o melhor time da história, o segundo Major de FalleN e companhia em 2016, e a consagração de Oleksandr “s1mple” Kostyliev como o melhor jogador de 2018.

GeT_RiGhT segurando o troféu da ESL One Cologne 2014, que era um Major. FOTO: Reprodução/HLTV.org

Conhecida como a ‘Catedral do CS’ a Lanxess Arena espera receber mais de 15 mil espectadores para um dos únicos eventos do ano onde 9 de 10 times no top dez HLTV estarão presentes. O lugar mágico para o CS é especial para os brasileiros da MIBR, o único time bicampeão desse evento (2016 e 2017).

Na disputa estão 16 times, divididos entre dois grupos:


GRUPO A:

GRUPO B:
FURIA
MIBR
Team LiquidAstralis
Natus VincereVitality
FaZe ClanENCE
NRGHeroic
MousesportsNinjas in Pyjamas
MVP.PKFNATIC

A primeira partida de cada time é melhor de 1, mas em diante serão melhores de 3. De cada grupo avançam três equipes, sendo que a primeira ganha um dia de folga e se garante na semifinal, e as duas abaixo disputam as quartas-de-final contra duas do grupo oposto. A final acontece no domingo e será uma melhor de 5.

Russos descansados

Atuais campeões, Natus Vincere comemora o título da ESL One Cologne 2018. FOTO: Reprodução/HLTV.org

Chegando em Cologne após mais de um mês sem disputar uma partida oficial e com um jogador novo no time, a Natus Vincere busca mostrar porque era um dos únicos times que a Astralis levava a sério.
O melhor jogador da história do CS:GO entra no servidor ao lado de Electronic, flamie, zeus e a nova adição, Boombl4. E assim s1mple tenta o bicampeonato.

Na edição anterior, após se sagrar campeão, o jogador Electronic alegou em entrevista que conseguia ser melhor que o companheiro de time, s1mple, mas resultados muito abaixo coletivamente o impediram de provar. Cologne é o palco ideal, com todos os olhos vidrados.

Finlandeses que ficaram na geladeira

ENCE entrando no palco para a final da DreamHack Masters Dallas. FOTO: Reprodução/HLTV.org

Sem conseguir disputar a ECS ou a ESL Pro League Finals, a ENCE teve que se contentar com participar da DreamHack Masters Dallas, pouco mais de um mês atrás, onde fizeram final contra a Team Liquid.
Isso não é o suficiente, porém, e o time vem com uma grande interrogação sobre suas cabeças.
Finalista do último Major, uma das sensações do ano ainda tem muito o que evoluir em volta de suas estrelas que são muito novas, como Jere “sergej” Salo, de apenas 17 anos.

Ressurgimento francês em uma AWP

ZywOo com o troféu da ECS Season 7 Finals e sua medalha de MVP pela HLTV. FOTO: Reprodução/HLTV.org

Mathieu “ZywOo” Herbaut, 18, já fez o seu nome no cenário internacional de CS. O jovem é a estrela do time francês Vitality, liderados pelo bretão ALEX, e já é cotado como candidato ao Top 5 da HLTV ao fim do ano.

MVP nos campeonatos cs_summit 4 e ECS Season 7 Finals, onde se sagrou campeão nas duas ocasiões, ZywOo já demonstrou que os grandes palcos e enfrentar adversários superiores não o assustam. Uma final em Cologne alteraria o status de todo o time de ZywOo+amigos, para um verdadeiro time de campeões.

Duvidados, destronados, despreocupados

dev1ce após Astralis ser eliminada pela Liquid na ESL Pro League Season 9 Finals. FOTO: Reprodução/HLTV.org

Após o Major de Katowice em março, parecia que havíamos entrado em uma era eterna da Astralis. A dominância que demonstravam dentro do servidor até mesmo contra oponentes incrivelmente fortes como a Team Liquid, indicavam um time que jamais perderia a coroa.

Bem, eles decidiram entregá-la.

Optando por jogar os campeonatos de sua companhia parente, RFRSH, a Astralis cedeu seu posto de Top 1 por umas BLASTS Pro Series – que eles nem mesmo venceram todas.

Essa controvérsia fez com que toda a comunidade desacreditasse no time que outrora parecia impossível de ser contido. A Team Liquid tomou o posto de líder nos rankings da ESL e da HLTV e os dinamarqueses assistiram de camarote enquanto o adversário que dominaram durante todo o 2018 montou a base para uma era Norte-Americana.

Uma coisa é certa nisso tudo, que a Astralis não deve sentir a pressão, pois esse título é da Liquid para perder, e um dos melhores times da história certamente irá jogar tudo que pode parar pegar um título inédito.

A Era da Americana

Team Liquid ergue o troféu da ESL Pro League Season 9. FOTO: Reprodução/HLTV.org

Team Liquid havia inicialmente negado o convite da ESL para atender este evento. Depois percebeu que todos os seus amigos iam e decidiu ir também, mas já era tarde demais para convites e teve, então que se classificar do jeito difícil.
Conseguiu, e agora chega mais prestigiada do que nunca antes.

EliGE conseguiu seus dois primeiros MVPs da carreira nos últimos dois eventos que participaram (e venceram), Twistzz, NAF e Stewie2k demonstram serem sólidos componentes do time, por muitas vezes tomando o holofote para si, e nitr0 demonstrou inúmeras vezes o quão subestimado é como capitão.

Nisso tudo, o time só tem que cometer muitos erros para não pegar esse troféu. Mas todas as flechas estarão apontadas para eles, o time número 1 do mundo, e o alvo fica cada vez maior.

Não atrapalha, também, que um dos grandes incentivos da Liquid é o fato de esse campeonato ser a primeira chance para eles vencerem o Intel Grand Slam e embolsar 1 milhão de dólares extras.

Entre os grandes

FURIA após sua primeira vitória contra a Astralis na ECS Season 7 Finals. FOTO: Reprodução/HLTV.org

Os jogadores da FURIA recentemente assinaram contratos de 5 anos, a organização assinou com a NIKE, mas tudo isso de fora do servidor não interessa. Dentro, o time vem de participações históricas na DreamHack Masters Dallas, onde chegaram a semifinal e perderam para os eventuais campeões Team Liquid; e mais incrível foi sua participação na ECS Season 7 Finals, onde bateram 3 mapas a 4 contra a Astralis (Nuke duas vezes), e perderam na final para a Vitality (convincentemente, mas ainda assim chegaram lá).

Seu terceiro grande campeonato é um desafio que a FURIA deve enxergar como uma grande montanha. Todos os adversários de peso já sabem quem eles são, assistiram demos e os viram jogar finais de alto nível, e observaram seus jeitos e trejeitos. Mas a FURIA não pode ter medo da escalada, e não tem.

A estreia que devia ter acontecido à anos

Brasileiros à época na SK Gaming comemoram seu segundo Major no mesmo ano. ESL One Cologne 2016. FOTO: Reprodução/HLTV.org

LUCAS1 estreia pela MIBR justamente em Cologne, contra a FNATIC. Cogitado nessa escalação ainda no fim de 2016 quando substituíram FNX, uma das metades dos gêmeos Teles teve que percorrer um longo caminho até voltar ao topo. Desde jogar a final de um Major, a não jogar uma única partida por uma organização que pagou muito caro por seu contrato, a reconstruir sua carreira e retomar sua posição ao lado de FalleN e companhia.

A estreia não vem em boa hora, como a maioria das trocas de lineup acontecem. O momento da MIBR é de descrédito com a torcida, resultados pífios e conflitos internos que acabaram com a troca de felps por LUCAS1. Tudo isso enquanto assistiam (e torciam, é claro) a FURIA se tornar o time número 1 do Brasil.

O que a FURIA não tem em relação a esse time é a experiência. FalleN, Fer, Coldzera e TACO são os únicos bicampeões da ESL One Cologne, têm zews novamente como técnico e veem o campeonato como um novo começo.

Resta saber o que o time conseguiu acertar em tão pouco tempo de treino com seu novo jogador e que resultados eles podem alcançar.

Correndo por fora

Sem esquecer de mencionar os times que podem surpreender neste campeonato.

Ninjas in Pyjamas: GeT_RiGhT já fez até churrasco de aposentadoria, o time substituiu dennis pelo jovem Plopski e busca ter um capitão dedicado para dar uma cara ao trabalho coletivo. Dificilmente, pelos resultados recentes, chegariam a final. Mas… NIP Magic.

FaZe Clan: Com seu novo capitão, NEO, a FaZe já mostrou que ainda sabe jogar, e com tempo para praticar é certamente a maior candidata para zebras.

Mousesports: Assim como a outra lineup internacional citada acima, Mouz tem um novo capitão, karrigan, e se mostra mais afiada do que nunca. ChrisJ mostrou na ESL Pro League S9, um nível que não víamos a algum tempo.

FNATIC: Construída a um pouco mais de tempo que as lineups citadas acima, FNATIC tenta, em Cologne, se consolidar como time e mostrar que ainda está na briga.

NRG: Os americanos podem ficar ofuscados por seus conterrâneos da Liquid, mas não deixam a desejar em nenhum quesito. Há, porém, uma incógnita a cerca da nova adição ao time: o capitão stanislaw no lugar de daps. O curto tempo para treino precisa ter sido suficiente para o time se sentir confortável seguindo suas ordens, ou podem sofrer para encaixar durante o evento.

Comente com o Facebook

Sobre Estevão Barbosa

Estudante de Jornalismo e entusiasta de esportes e música.

Veja também

CS:GO: MIBR anuncia novo uniforme para a disputa do Major

Novo manto tem como cor predominante o azul escuro Neste sábado (3), a MIBR mostrou …